Otoplastia - Orelhas em abano

Indicação

Algumas pessoas nascem com orelhas mal formadas, ou seja, com o formato diferente do normal. A mal formação mais comum é a chamada orelha de abano, a qual apresenta sua borda lateral mais distanciada da cabeça, aparentando por isso ser maior. Nestas orelhas há também o apagamento da anti-hélice (dobra interna da orelha), conferindo à esta um aspecto de antena parabólica.
A otoplastia é a cirurgia que leva à correção destas alterações, visando a formar a anti-hélice e diminuir a distância entre a face posterior da orelha e o couro cabeludo.
A idade ideal para a correção é a partir dos 6 anos, quando a orelha já alcançou o tamanho adulto e a criança começa o período escolar.
O intuito da otoplastia é a correção das alterações estéticas da orelha, deixando a orelha de forma natural, sem estigma de orelha de abano ou de cirurgia.

Tipo de anestesia

Pode ser local, local com sedação ou geral.

Tempo de internação

O paciente pode receber alta no mesmo dia ou no dia seguinte à cirurgia.

Pós operatório

Deve-se evitar qualquer tipo de trauma às orelhas, inclusive dormir sobre ela por 3 semanas.
Deve-se usar uma bandagem elástica que protege e mantém a orelha imobilizada junta à cabeça por 1,5 mês, apenas para dormir.

Resultado definitivo

Logo após a Otoplastia, a orelha já se encontra praticamente com o formato final, porém há edema e equimose (inchaço e roxidão) que regridem em até 21 dias. A cicatriz leva 6 meses para amadurecer.

Complicações

São raras na Otoplastia. Porém como toda cirurgia tem seus riscos, podemos citar: hematoma, infecção, deiscência (abertura da sutura), cicatriz hipertrófica (exacerbada) e problemas anestésicos.